sábado, 27 de fevereiro de 2010

Invasivo, apreensivo, inconsequente

Estava ridiculamente encharcado por mais uma das tantas tempestades que maltratavam a cidade naquela época do ano. A cidade, nublada, já estava escura desde manhã.
Não liguei para avisar, simplesmente apareci.
Invasivo.

Ouvi os estalos do chão de madeira do outro lado da porta. Percebi ter parado de respirar por alguns segundos.
Apreensivo.

Quando a porta se abriu, vi a mulher mais bonita do mundo. Estava de pijama, surpresa com minha presença. Estava seca.

- O que você está fazendo aq...

- Precisava falar com você...me desculpe...a hora...

- Você está todo molhado...

- A chuva...

- Por que você não...

- Eu não poderia esperar até amanhã.

- O que aconteceu?

- Eu te amo.

Inconsequente.

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Cotidiano V

Já carpi terra e limpei jardim de praga. Plantei feijão em algodão e manjericão em vaso véio. Salsinha em copo d'água e girassol no terreno da minha rua.

Nunca tinha visto brotar flor no asfalto.

A mardita é bonita, mas fica na rua.

- Óia o carro!

Ufa....